Conecte-se conosco

Religiao

Em ambulância, Bolsonaro é levado ao Hospital Vila Nova Star

Publicado

em

Aos Leitores, ler com atenção:
Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove ao contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

Bolsonaro foi diagnosticado com uma obstrução intestinal

ADRIANO MACHADO/REUTERS – 12.07.2021

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) iniciou trajeto do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, em direção ao hospital Vila Nova Star, onde realizará bateria de exames, cujos resultados devem indicar se há necessidade de intervenção cirúrgica. Ele está acompanhado de seu médico particular, Antônio Luiz Macedo, responsável por operá-lo em 2018 após a facada da qual foi vítima durante ato em campanha eleitoral em Juiz de Fora (MG).

Bolsonaro deu entrada no Hospital das Forças Armadas na madrugada desta quarta-feira (14) com dores abdominais. De acordo com a Secretaria Especial de Comunicação da Presidência da República (Secom), exames constataram obstrução intestinal decorrente do atentado a faca. O presidente foi transferido de avião, às 17h10, para a capital paulista, onde deve fazer novos exames.

Primeira-dama

Antes de desembarcar em São Paulo, pelo Instagram, a mulher de Bolsonaro, Michelle, compartilhou foto da asa do avião ao entardecer com a legenda: “Deus sempre esteve, e estará no controle de TODAS as coisas”.

por Agência Estado

--Publicidade--
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mundo

ASSISTA VÍDEO: vereador e Jaru emociona famosos do Brasil ao tatuar risada da mãe que morreu de Covid-19

Publicado

em

Rafael Vaz Lopes perdeu a mãe neste ano para a covid-19 e, quando a morte fez 180 dias, o vereador pelo MDB em Jaru, município da região central de Rondônia, postou a tatuagem sonora que fez no antebraço.

Em poucas horas, o vídeo viralizou nas redes sociais e chamou a atenção de famosos como Alok, Thaeme, Solange Almeida e Lucas Lucco. Além de uma multidão de anônimos, que se emocionou com a homenagem.

Já são mais de 1,4 milhão de visualizações somente no TikTok (ASSISTA AQUI).

Rafael e a mãe, Marlene, viajaram a Miami em 2018. No aeroporto, ela começou a rir sem parar, e o filho gravou um vídeo do momento. “Coisa de mãe e filho, sabe? Nunca imaginei que a perderia”, diz.

No ano seguinte, o vereador descobriu esse tipo de tatuagem, feita pela Skin Motion.

“Captei o som da risada dela do vídeo e tatuei. Ela viu, foi muito emocionante. Dois anos depois, eu a perdi, e a tatuagem fez muito mais sentido”, conta. Rafael.

Ele diz que a mãe sempre foi contra tatuagens, mas ficou admirada com a tecnologia. Para Rafael, a tattoo desperta as melhores recordações.

“É a melodia que mais gosto de ouvir. Agora ficará eternamente comigo. Lembro da nossa história de amor. Minha mãe era minha melhor amiga”.

REPERCUSSÃO DA TATUAGEM

Rafael estava emotivo em um hotel quando postou a risada da mãe. No dia seguinte, veio o “abraço coletivo” que o confortou.

“Recebi mensagens de carinho, e isso me fez um bem gigantesco”, afirma.

A INFECÇÃO PELA COVID-19

Rafael não sabe ao certo como a mãe se infectou. Após o contato com a manicure, Marlene contou que havia testado positivo. O vereador e os irmãos também tiveram Covid-19 no mesmo período.

Aos 53 anos, acabou não resistindo às complicações do novo coronavírus.

“Com menos de três dias de internação, ela foi para a UTI. Lá, ficou mais dois dias e foi intubada. Não voltou mais. Depois de 29 dias na UTI, perdemos ela”, relata o filho.

Para fazer a tatuagem sonora, basta ter um áudio de até 15 segundos e enviar para a empresa, que o transforma em desenho. É preciso também escolher uma superfície plana do corpo e, depois, fazer a manutenção anual.

“Uma amiga tinha um áudio da mãe, que morreu: ‘Independentemente de qualquer coisa, a mãe te ama’. Ela tatuou isso. Há pessoas que tatuam o primeiro choro do bebê, por exemplo.”, finalizou o parlamentar.

CLIQUE ABAIXO e assista o vídeo.

Via UOL

Continue lendo

Religiao

Rolim: Pastor Manoel anuncia aposentadoria após 38 anos de ministério pela Igreja Assembleia de Deus

Publicado

em

Neste domingo, dia 18 de Julho, ocorrerá um marco na história das Igrejas Evangélicas Assembleia de Deus em Rolim de Moura, será a jubilação do pastor Manoel Ângelo Chagas, que após 38 anos como presidente do ministério, estará passando o cajado ao seu sucessor pastor Maxuel Kaiser vindo da cidade de Espigão do Oeste.

Manoel Ângelo Chagas, nasceu em Macaubal – SP, no dia 18 de Julho de 1944. Casou com Neusa Alves Rodrigues Chagas no dia 01 de Fevereiro de 1964 na Cidade de Xambrê – PR tiveram 06 filhos, desses 03 in memoriam.

Dos filhos Sergio Paulo Rodrigues Chagas, Eunice Rodrigues Chagas e Joas Rodrigues Chagas, lhe deram 09 netos e seguindo com 05 bisnetos.

Vindo da cidade de Presidente Médici, pastor Manoel foi empossado pastor presidente das Assembleias de Deus em Rolim de Moura no dia 14 de Novembro de 1983, com apenas 39 anos de idade, com a saída do pastor José Luiz, assumindo o campo com 35 congregações.

Prosseguindo o trabalho, chegaram a 135 congregações, com os setores de Nova Brasilândia, Migrantinópolis, Novo Horizonte, Nova Estrela, Santa Luzia do Oeste e São Felipe, sendo construídas congregações em todas as linhas.

Com o crescimento avançado da igreja, se fez necessário dar autonomia para alguns setores, tais como: Nova Brasilândia, (com 35 congregações), depois, Santa Luzia do Oeste (com 17 congregações) e por ultimo São Felipe do Oeste com 07 congregações.

Quando Pastor Manoel chegou à Rolim de Moura só havia um templo de madeira de bom porte e também um refeitório situado na Rua Rio Madeira. A igreja pagava aluguel da casa pastoral. Daquele simples templo o Senhor deu à igreja um templo bem maior, em alvenaria, dotado de um refeitório muito bom, e com casa pastoral. O novo templo foi inaugurado em agosto de 1986, localizado na Av. Macapá, esquina com a Rua Guaporé. Já recebeu ampliações especialmente nas estruturas de apoio para sediar os eventos da igreja.

Além do Templo Sede, o ministério conta com 14 congregações nos Bairros de Rolim de Moura, 34 Congregações na área Rural, 04 templos nos Distrito de Nova Estrela, Migrantinópolis, Jardinópolis e no Município de Castanheiras, somando 52 congregações.

Também tem os trabalhos de Missão que é feito pela igreja em vários lugares fora do município.

Missão transcultural em Cuzco – PERU

Missão Nacional em Minas Gerais

Nação Indígena no Município de Alta Floresta – RO

A igreja tem investido em várias áreas, desde o evangelismo, ensino, às missões e à assistência social, contribuindo para a formação de obreiros, alguns deles atualmente servindo a Deus em outros campos.

Durante todos esses anos o trabalho cresceu e se consolidou, onde vários eventos estaduais da denominação já foram realizados pela liderança religiosa.

Acompanhe pelas redes sociais: https://www.youtube.com/ieadrm e https://www.facebook.com/IEADRM

Rolim: Pastor Manoel anuncia aposentadoria após 38 anos de ministério pela Igreja Assembleia de Deus

Fonte: Angela Pereira

Continue lendo

Geral

Amor: Conheça a história de Marinês a avó, com duas formação e decidiu estudar outra faculdade e pós graduação para ajudar seu neto autista.

Publicado

em

O dia 02 de maio de 2016, foi o um momento marcante na vida de Dayane , mãe do Ralf Henrique, dia do seu nascimento e como sempre sua avó Marinês acompanhou tudo de perto, sempre presente, ocorreu tudo bem durante a cirurgia. – “Lembro da enfermeira me mostrando aquele bebê lindo, foi um momento único”,recorda a avó.

Ralf Henrique se desenvolveu perfeitamente como uma criança na idade dele até 1 ano e meio sua avó professora e na sua turma tinha um aluno autista, que ajudou a ir em busca de conhecimento para acompanhar e conhecer melhor o TEA, começou observar seu neto em casa, com os movimentos repetitivos e também andava com as pontas dos pés e a organização dele com as peças de brinquedos e chinelos enfileirados,, Ralf Henrique falou no tempo certo, mas aos poucos foi perdendo a fala, que começou a  balbuciar palavras: “Todo mundo me dizia que não era para eu me preocupar porque, no menino, a fala acontece mais tarde”. Mas avó Marinês e sua filha Dayane mãe do Ralf Henrique resolveram buscar ajuda médica. E foram diretamente em uma clinica de neuropediatra, que devido ás observações e as experiências da avó do Ralf

Henrique começou os diagnósticos, junto á outros profissionais de saúde que seu neto Ralf Henrique era portador do TEA, “ele é autista”. Disse a neuropediatra.

 Com as idas e vindas da neuropediatra,  representou um divisor de águas na vida dessa mãe e dessa avó ainda cheia de dúvidas, chegando em casa, Ralf abriu um caixa cheio de carrinhos, e outros brinquedos e ficou olhando para todos aqueles brinquedos e se isolou no mundo dele. 

Sua mãe e sua avó começaram a procuraram entender melhor de ver este mundo tão diferente, tentaram procurar ajuda de alguns familiares e para eles também aprender a conviver com o diferente: “Eles têm um mundo só deles, e todos que convivem com o Ralf  precisavam entender isso, disse avó. 

Derrubando barreiras

Nas suas andanças, descobriu que a família que tem um autista enfrenta dois obstáculos: o primeiro é perder o medo e permitir que o filho especial tenha uma vida como as das outras crianças, e o segundo é conseguir terapias para melhorar a  convivência de Ralf Henrique.

Dayane  matriculou Ralf na creche  municipal  de Santa Luzia D´Oeste, para melhorar a socialização, mas as terapias não tinha como começar, pois a mãe nem a avó tinham condições financeiras, foi então que a avó conversando com uma mãe de um autista, tirou todas as duvidas de como conseguir tratamento e acompanhamento de profissionais para começar estas terapia, agora conhecedora da lei 12.764/12, que Institui  a Política Nacional dos direitos da pessoa com Transtorno do Espectro Autismo, começa a luta para conseguir os tratamentos, mas a demora é imensa, e o Ralf Henrique só progredindo; foi então, que a avó Marinês, formada em administração e licenciada em letras e terminando curso de pedagogia atuando na área da educação, decide se especializar em Neuropsicopedagogia  e Terapia ocupacional, para ajudar seu neto Ralf Henrique e futuramente outras crianças com o TEA.

A avó e professora Marinês que confecciona junto a professora do pré II, sua atividades pedagógicas, e também faz a equoterapia em uma chácara particular cedida pelos proprietários para desenvolver esta terapia e auxilia-lo no equilíbrio e concentração.

A avó mesmo com todos estes cursos que auxilia Ralf Henrique,  ele  depende do auxilio do estado e do município para os remédios controlados e também o acompanhamento de um serviço especializado em educação especial,  que ainda não começou, aguardando decisão judicial do estado e município .

Ralf Henrique tem TEA moderado, sociável, olha nos olhos, abraça, mas  não fala,  não tem  noção de espaço e nem do perigo, está aprendendo onde fica o banheiro, aprendendo a comer sozinho  .  –  “Ele já se expressa e sabe mostrar o que quer fazer puxando- nos pela mão, A partir das terapias com outros profissionais, ajudaremos na evolução explica a avó, pedagoga, neuropsicopedagoga e Terapeuta ocupacional,  E somente assim, com ajuda também dos profissionais da educação, em seus primeiros anos das series iniciais, Ralf Henrique será alfabetizado,   –  ficaremos felizes ao ver o meu neto, convivendo pós pandemia com os demais alunos e participando da vida em sociedade.

 Meu coração se enche de esperança e emoção! Comemora sua avó Marinês.


Fonte. rondonianews.com

Continue lendo
--Publicidade--

Publicidade

Publicidade

--Publicidade--
--Publicidade--

Artigos

Categorias

Mais Lidas

%d blogueiros gostam disto: