Conecte-se conosco

Agronegócio

Novos preços de referência do leite são publicados em Rondônia pelo Conseleite

Publicado

em

Aos Leitores, ler com atenção:
Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove ao contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), divulga os novos “preços de referência” para o leite em Rondônia aprovado pelo Conselho Paritário de Produtores e Indústrias de Leite (Conseleite) e publicado na terça-feira (20) por meio da Resolução Abril/2021.    

O relatório com as informações técnicas do preço de referência do leite foi produzido pela Universidade do Paraná Universidade Federal do Paraná (UFPR/FUNPAR), contratada pela Seagri para fazer o levantamento do custo de produção do produtor e das indústrias, com recursos provenientes do Fundo de Investimento e Apoio ao Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira de Rondônia (Proleite).    

Conforme mostra o documento assinado pelo presidente Pedro José Bertelli (Sindileite) e pela vice-presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia (Fetagro), Alessandra Costa Lunas, as variações no preço do produto entregue às indústrias de laticínios durante o mês de abril de 2021 são as seguintes: valor de referência do litro de leite padrão, R$ 1,2524 em fevereiro; R$ 1,2560 em março, com variação de R$ 0,0033.

O valor padrão sobre volume de 25 litros/dia se baseia na unidade com 3,30% de gordura, 8,75% de componentes sólidos, 375 ml de contagem de células somáticas; e 325 ml de proliferação bacteriana por contaminação externa, relacionada à higiene na coleta.

Segundo a resolução do Conseleite, os valores de referência da tabela são para a matéria-prima do leite “posto no tanque de resfriamento”, o que significa que o frete de percurso não deve ser descontado do produtor rural. Nos valores de referência está incluso o valor do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural) de 1,5% a ser descontado do produtor rural, uma contribuição previdenciária obrigatória que incide sobre a atividade do produtor rural pessoa física ou jurídica.

O Conseleite Rondônia alertou que outros parâmetros são considerados pelo mercado para estabelecer o valor final do leite a ser pago ao produtor, entre os quais: 1) Fidelidade do produtor ao laticínio; 2) Distância da propriedade até o laticínio; 3) Qualidade da estrada de acesso a propriedade rural; 4)Temperatura do leite na entrega; 5) Capacidade dos tanques de resfriamento de leite da propriedade; 6) Tipos de ordenha; 7) Adicionais de mercado devido a oferta e procura pelo leite na região; 8) Sazonalidade da produção; 9) Condições sanitárias do rebanho; 10) Outros benefícios concedidos pelas indústrias.

O Conseleite é um método matemático para o cálculo mensal do valor de referência da matéria-prima do leite, que promove o entendimento entre os produtores e indústrias, pois a validação acontece por ambas as partes. Serão divulgadas informações para referência da situação de mercado lácteo em geral. Ao longo do tempo, essas informações contribuirão para a melhoria de gestão, tanto das propriedades rurais quanto das indústrias, em áreas de custo de produção, preços de comercialização da matéria-prima e dos derivados.

De acordo com o secretário da Agricultura, Evandro Padovani, o preço referencial do leite será publicado todos os meses. “Após passar a aprovação do preço do leite, a Seagri fará a publicação desse preço. É um valor referencial, não é um preço mínimo e nem um valor que a indústria será obrigada a pagar, mas sim um ponto de referência que a indústria poderá praticar com preço igual, maior ou menor que esse preço indicado”, explicou.

Os integrantes do Conseleite são formados por representantes da Fetagro, da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Rondônia (Faperon) e Sindicato das Indústrias de Laticínios no Estado de Rondônia (Sindileite) com o apoio da Seagri e do Conselho para o Desenvolvimento do Agronegócio Leite de Rondônia (Condalron). 

Fonte
Texto: Montezuma Cruz
Fotos: Elaine Pereira e Maicon Lemes
Secom – Governo de Rondônia

--Publicidade--
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Agronegócio

Cacoal – SESI requereu junto SEMA LICENÇA AMBIENTAL SIMPLIFICADA – LAS

Publicado

em

“O Serviço Social da Industria – SESI, com sede na Av. Sete de Setembro, nº 2674 – Bairro Centro – Município de Cacoal, estado de Rondônia, devidamente cadastrado no CNPJ n° 03.783.989/0007-30, torna público que requereu junto a Secretaria municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – SEMA, no mês de MAIO, a LICENÇA AMBIENTAL SIMPLIFICADA – LAS, cujo a unidade está localizado na Coordenada Geográfica -11.43778, -61.44493. Cacoal/ RO.”

Fonte. SESI

Continue lendo

Agronegócio

Santa Luzia – Produtores de Leite realiza protesto em frente ao laticínio/ vídeo

Publicado

em

Por volta das 07h00min da manha destes sábado 24, já começava a se reunir os produtores de leite em frente ao Laticínio que fica localizado na RO 383 km 02 sentido Rolim de Moura.

No decorrer do dia, os produtores realizaram uma carreata pelas ruas e Avenidas da cidade e retornaram para frente do Laticínio.

O protesto se faz em decorrência do baixo preço do leite pago aos produtores, segundo um dos produtores eles vão ficar em frente ao laticínio para não deixar chegar o leite para quem descumpra a  greve, só irão deixar chegar o leite após  uma negociação satisfatória com os produtores.

O protesto em Santa Luzia conta com produtores de Parecis, Alto Alegre dos Parecis e Santa Luzia.

Obs: todos os vídeos e fotos são de internautas que enviou para nossa equipe.

Continue lendo

Agronegócio

Por meio do Proampe, Governo de Rondônia capacita agentes de crédito para atender micros e pequenos empresários de Rondônia

Publicado

em

Proampe é um programa voltado 100% para microempreendedores nesta pandemia

O Governo de Rondônia, por meio da Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), iniciou nessa segunda-feira (12), a etapa de treinamento de agentes de crédito para avançar na efetivação do Programa de Apoio às Micros e Pequenas Empresas e Empreendedores de Pequenos Negócios do Estado de Rondônia (Proampe).

Instituído pelo Decreto n.º 25.555, de 16 de novembro de 2020 e lançado em fevereiro, o programa é considerado meta prioritária do Planejamento Estratégico do Governo Estadual e fortalece a política de ampliação de microcrédito do Estado. Por ordem do governador, coronel Marcos Rocha, o programa avança de forma célere e transparente.

No final do mesmo mês de lançamento, houve o processo seletivo dos agentes de crédito, agora os mesmos passam por treinamento com duração de oito dias em imersão total, de 12 a 19 de abril, em Ji-Paraná.” Nós estamos nessa etapa muito importante de formação dos agentes de crédito e eu peço a cada um que faça o melhor em seus municípios, pois o recurso liberado dará retorno para a economia do nosso Estado e desta forma vai beneficiar a nossa população, precisamos defender o bem”, disse o governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha.

A etapa é considerada importante e vai permitir avançar para as inaugurações das unidades de microcrédito, previstas para acontecer em cerca de um mês. “Dei ordem para tirar as travas que estavam impedindo as pessoas de terem acesso a crédito, pois nós temos pessoas que estão sofrendo e queremos ajudá-las a saírem do desespero; vamos fazer assim que a população tenha honra de poder seguir em frente, estou comprometido em fazer com que o nosso Estado se desenvolva”, garantiu.

“Esse programa é um marco para Rondônia, pois é um novo caminho para o microcrédito. Ele é uma resposta do pedido do governador de que o Estado tivesse uma política pública mais efetiva de microcrédito. Estudamos o que havia no Brasil e trouxemos para Rondônia um modelo específico para o nosso Estado”, conta o titular da pasta da Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), Sérgio Gonçalves, responsável pelo Proampe.

Proampe faz parte do Planejamento Estratégico do Governo de Rondônia para fortalecer a economia

O socorro aos pequenos negócios foi projetado antes da pandemia e se tornou ainda mais essencial neste período de crise sanitária, social e econômica desencadeada pelo aumento de casos da covid-19. “Já tínhamos desde o início, o plano de criar um programa que viesse fortalecer a economia do nosso Estado. Precisamos com pandemia ou sem pandemia fazer o nosso Estado crescer. Sabemos que a pandemia trouxe uma certa estagnação e o Proampe veio no momento certo para ajudar com o microcrédito”, avalia o governador.

“A gente sabe que a pandemia impacta principalmente os pequenos negócios, que o grande sofrimento dos pequenos empreendedores é a falta de capital de giro e o Proampe dará esse fôlego econômico; estamos agora na etapa de treinamento e daqui a pouco, mais de 20 dias, estaremos inaugurando as unidades de microcrédito”, afirma o superintendente.

“Esse é um programa voltado 100% para microempreendedores que estão sofrendo financeiramente nesta pandemia. Parabenizo o governador , coronel Marcos Rocha, por estar atendendo essa fatia da população que não está conseguindo enfrentar essa fase pandêmica com recursos próprios. Muitas portas foram fechadas neste período, mas por meio do Proampe, serão novamente abertas, vai fazer muitas pessoas voltarem a sonhar”, considera o prefeito de Ji-Paraná, Isaú Fonseca, que já assumiu o compromisso de disponibilizar agentes de crédito do município na próxima fase de capacitação do Proampe.

A princípio, o Proampe conta com o aporte de R$ 10 milhões do Governo de Rondônia, o que o governador considera a “ignição” para que a iniciativa seja consolidada, mas o superintendente explica que o programa deve funcionar com recurso do sistema financeiro privado, o que abre um grande leque de financiamos. “Já temos R$ 10 milhões, mas devemos chegar a R$ 50 milhões esse ano e mais R$ 50 milhões para o próximo ano”, complementa o governador.

“O Proampe é uma política pública que não depende de recurso público e essa é uma das grandes inovações, tira a pressão do Estado. O recurso vem do sistema privado financeiro baseado na lei federal do Programa de Microcrédito Produtivo Orientado. São poucos estados que estão regulamentados e Rondônia agora faz parte disso. É um recurso adicional que vai girar a economia dos municípios. Desta forma, tem recurso e tem gente precisando desse recurso e o que precisava era articulador e esse está sendo o papel do Governo”, afirma Sérgio Gonçalves.

CAPACITAÇÃO

A capacitação é gerenciada de forma transparente por uma empresa tecnicamente especializada e contratada por meio de processo público, seguindo normas estabelecidas da Lei 8.666/93. (art. 25, inc. II).

Nesta primeira fase, 25 agentes de crédito participam do Programa de Formação de Agente de Crédito (Profac), vinculado ao Proampe. “Essa capacitação vai permitir a todos nós agentes de crédito poder ajudar na economia dos municípios, o que é muito importante especialmente na pandemia. Fico feliz de participar de algo que vai ajudar muito a população”, afirma a agente de crédito de Cacoal, Fabiana Alves.

“Cabe a nós seguimos firmes nessa missão de alavancar a economia, ajudando muitos rondonienses. Estou feliz e empenhada em contribuir com o objetivo do programa”, afirma a agente de crédito de Pimenta Bueno, Rosângela Neves.

A princípio o Proampe será implantado em 13 municípios: Porto Velho, Candeias do Jamari, Ariquemes, Jaru, Cacoal, São Miguel do Guaporé, Alta Floresta do Oeste, São Francisco do Guaporé, Rolim de Moura, Espigão do Oeste, Pimenta Bueno, Cerejeiras e Vilhena. “Os 13 municípios representam mais de 70% da demanda de microcrédito do Estado. Desta forma já vamos atender nesta primeira fase uma demanda de microcrédito altíssima”, avalia o superintendente da Sedi.

Mas o objetivo do Governo de Rondônia é que até 2022, o programa possa atender os 52 municípios do Estado, o que deve acontecer conforme as prefeituras forem aderindo ao Proampe.

VANTAGENS

Fortalecimento da economia nos 52 municípios, sistema de garantia simplificado e taxa de juros baixíssima, de 0.33% por mês, enquanto que em média os bancos cobram 4% mensais. Essas são as principais vantagens do Proampe.”Beneficiará os que faturam até R$ 360 mil por ano e tem que estar com atividade produtiva, pois o crédito é direcionado para atividade empreendedora”, informa o superintendente.

São até R$ 30 mil em crédito. A incentiva vai fortalecer os pequenos negócios no Estado. O governador destacou ainda que cada avanço que Rondônia tem é motivo de grande alegria, pois quando assumiu o Governo o Estado tinha tudo para dar errado com um déficit orçamentário de R$ 420 milhões. Mas, por meio de um trabalho sério, técnico e responsável com recurso público, foi possível levar o Rondônia a um superávit de R$ 370 milhões, o que tem ajudado não só no enfrentamento à pandemia, mas também mantém investimentos nos demais eixos de desenvolvimento, a exemplo do Proampe.


Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Ėsio Mendes
Secom – Governo de Rondônia

Continue lendo
--Publicidade--

Publicidade

Publicidade

--Publicidade--

Artigos

Categorias

Mais Lidas

%d blogueiros gostam disto: