Conecte-se conosco

Mundo

Cientistas criam modelo de língua humana em impressora 3D

Publicado

em

Aos Leitores, ler com atenção:
Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove ao contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

Pesquisadores da Universidade de Leeds em colaboração com a Universidade de Edimburgo, ambas no Reino Unido, imprimiram em 3D o que eles chamam de “a primeira superfície biomimética da língua”. O estudo sobre a impressão foi publicado no ACS Applied Materials & Interfaces.

O modelo sintético imita uma variedade de qualidades da língua humana, desde a topologia e elasticidade exatas até a “molhabilidade”. Essas qualidades determinam como a saliva interage com a língua, determinando o paladar, a capacidade de engolir, a fala e outros fatores. Ao desenvolver uma superfície artificial, os pesquisadores esperam obter insights sobre como a língua afeta a maneira como comemos e falamos.

Leeds University/Reprodução

Imagem ótica 3D ampliada da superfície da língua humana. Imagem: Leeds University/Reprodução

Criação do modelo 3D biomimético

Para criar a superfície da língua biomimética, a equipe tirou impressões de silicone da língua de 15 adultos saudáveis pela manhã, pelo menos duas horas desde que comeram e beberam. Então escanearam esses negativos para mapear os detalhes. Por fim, imprimiram o modelo em 3D usando uma tecnologia de processamento digital de luz.

O coautor do estudo e pesquisador da Universidade de Leeds, Michael Bryant, argumentou que a criação de um modelo biomimético “com estrutura e propriedades mecânicas semelhantes à superfície de uma língua humana real agilizará a pesquisa e o desenvolvimento de cuidados bucais, de produtos alimentícios e tecnologias terapêuticas”.

A natureza complexa da superfície biológica da língua tem colocado desafios na replicação artificial, adicionando grandes obstáculos ao desenvolvimento e triagem de tratamentos ou terapias eficazes de longa duração para problemas, como a boca seca, problema causado pela falta de lubrificação bucal.

Por isso, o foco da criação do modelo foi a atenção na seção dorsal anterior da língua onde algumas papilas contêm receptores de paladar.

“Ambos os tipos de papilas desempenham um papel fundamental no fornecimento do atrito mecânico certo para auxiliar o processamento alimentar na boca com a quantidade adequada de saliva, proporcionando uma percepção prazerosa de sensação bucal e lubrificação adequada para engolir”, declarou Efren Andablo-Reyes, que conduziu esta pesquisa enquanto era pós-doutorando na Universidade de Leeds.

Modelo não faz teste de sabor

A equipe realizou uma série de experimentos usando diferentes fluidos complexos para garantir que a capacidade da superfície impressa e o desempenho de lubrificação fosse o mesmo da língua humana. Entretanto, infelizmente, a língua artificial não pode sentir o gosto de nada.

“Recriar a superfície de uma língua humana comum apresenta desafios arquitetônicos únicos. Centenas de pequenas estruturas semelhantes a botões chamadas papilas gustativas dão à língua sua textura áspera característica que, em combinação com a natureza macia do tecido, cria uma paisagem complicada de uma perspectiva mecânica”, disse Andablo-Reyes.Leeds University/Reprodução

Língua biomimética com o novo polímero usado pela equipe. O polímero mais macio é uma melhor abordagem do tecido biológico. Imagem: Universidade de Leeds/Reprodução

A pesquisadora principal do estudo, Anwesha Sarkar, que também é professora na Universidade de Leeds, comentou que “essa superfície biomimética da língua também pode servir como uma ferramenta mecânica única para ajudar a detectar falsificações em alimentos e bebidas de alto valor com base em atributos texturais, o que é uma preocupação global e pode ajudar a garantir a segurança alimentar”.

De fato, desde o início da pandemia Covid-19, o distanciamento social tem colocado desafios significativos para a realização desses testes sensoriais e de consumo. Uma língua biomimética será imensamente útil para aumentar a produtividade do desenvolvimento e reduzir a dependência dos fabricantes em testes em humanos nos estágios iniciais.

Fonte: Futurism

--Publicidade--
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mundo

Lightyear promete revolução com carro elétrico movido a energia solar

Publicado

em

 

Um carro elétrico, acessível e hiper eficiente, que consiga rodar um quilômetro e meio com o equivalente a R$ 1 de combustível. Esse é o objetivo da startup holandesa de mobilidade limpa Lightyear. Seu primeiro conceito, o Lightyear One, usa células solares integradas ao capô e ao teto do carro, dispensando toda infraestrutura usada normalmente para alimentar veículos elétricos – inclusive as enormes baterias.

A Forbes classificou a startup como a “empresa automobilística mais revolucionária do planeta”, e revelou, em entrevista com o CEO Lex Hoefsloot, que a Lightyear pretende apresentar seu novo protótipo no primeiro trimestre do ano que vem.

“Se a viagem acontecer durante o dia, pode adicionar entre 38 e 59 quilômetros extras no alcance. Acreditamos que um carro com esse baixo consumo de energia pode ser a chave para uma adoção massiva de veículos elétricos”, completa o executivo.

A Lightyear foi fundada por um grupo de ex-alunos da Universidade de Eindhoven, na Holanda, que venceram a corrida do World Solar Challenge com seus carros solares, batizados de “Stella”. Esses veículos foram capazes de gerar mais energia em seus painéis solares do que consumiram em média – o que lhes permitiu terminar a jornada com mais carga do que quando começou.

“Aqui temos uma vantagem competitiva, pois a bateria é a parte mais cara dos veículos elétricos, e no nosso caso temos a menor bateria para o maior alcance. E podemos escalar muito mais rápido devido à falta de necessidade de infraestrutura especial de carregamento das baterias”, conta Hoefsloot.

Via: Forbes

foto site olhardigital

Continue lendo

Destaques

Atual Vereador Leandro de Santana, foi reeleito como Vereador mais votado novamente.

Publicado

em

Por

Vereador Leandro de Santana é reeleito com 521 votos, e se torna o primeiro vereador no município a conseguir conquistar esse feito.
O atual vereador Leandro de Santana, foi reeleito no último domingo, com 521, se tornando assim o mais votado do município novamente, no ano de 2016 ele conseguiu esse feito, conquistando então na época o total de 665 votos.
“- Só tenho a agradecer a todos que novamente depositaram seu voto de confiança em nossos trabalhos, foi 4 anos de aprendizado e experiência, agora estou ainda mais capacitado para esses próximos 4 anos de mandato, e tenho certeza que vou honrar cada voto”, disse Leandro a nossa equipe de reportagem.
Leandro é da coligação que reelegeu também o atual prefeito, Cornélio Duarte, que obteve 43,44% dos votos, tendo assim um total de 5,310 votos, com diferença de 1890 votos de segundo colocado que obteve 27,98% dos votos.

Continue lendo

Mundo

Tatuador gasta quase R$ 3 mil para colocar presas

Publicado

em

Um tatuador sul-mato-grossense, de 41 anos, decidiu colocar um par de presas para completar o visual cheio de modificações corporais. Ao..

Um tatuador sul-mato-grossense, de 41 anos, decidiu colocar um par de presas para completar o visual cheio de modificações corporais. Ao jornal britânico Daily Mail, o brasileiro, que se autodenomina “Orc”, contou que tem 80% do corpo coberto por tatuagens.

Ele também tem oito piercings subdermal (que simulam chifres sob a pele), a língua dividida e os globos oculares tatuados. Agora, gastou cerca de R$ 2,9 mil reais para as presas gigantes.

Morador de Iguatemi (MS), Orc disse que fez sua primeira tatuagem com 15 anos e a primeira modificação aos 35. Apesar de parecido com o personagem Orc, dos Senhor dos Anéis, e com os míticos Orcs da série de jogos Warcraft, o tatuador afirma que está apenas tentando ser ele mesmo.

“Essas são apenas minhas ideias, minhas inspirações que vêm do coração”, contou ao Daily Mail. O artista disse ainda que em seu círculo próximo não costuma receber muitos elogios. “Minha mãe não gosta, meu pai tolera e meus amigos acham estranho”, afirmou.

No entanto, ele diz receber comentários positivos de outras pessoas sobre sua aparência única. “Eles me dizem coisas boas que me motivam a continuar. Pessoas más existem em toda parte e estão sempre por perto, mas elas não me abalam”, relatou. E completou: “Viva, seja feliz, viaje, ame. Faça o que você quiser. A vida passa rápido e a morte é certa”.

Fonte. Terra)

Continue lendo
--Publicidade--

Publicidade

Publicidade

--Publicidade--

Artigos

Categorias

--Publicidade--

Mais Lidas

%d blogueiros gostam disto: