Conecte-se conosco

Politica

Invest Rondônia aponta R$ 3,7 bilhões em investimento e gera quase 12 mil empregos no Estado

Publicado

em

Aos Leitores, ler com atenção:
Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove ao contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

Atualmente, Invest Rondônia acompanha projetos de 18 empresas, que somam R$ 3.767.835.888,31 em investimentos e gera 11.774 empregos

Governo de Rondônia, por intermédio da Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura (Sedi), apresenta balanço bienal 2019-2020 da Invest Rondônia, que apontou acompanhamento de projetos de 18 empresas, investimentos de R$ 3.767.835.888,31 com geração de 11.774 empregos. Invest Rondônia é um programa da Sedi vinculado à Coordenadoria de Comércio Exterior, que tem por objetivo atrair investimentos para o Estado e, também, promover a exportação de produtos rondonienses de interesse coletivo e utilidade pública.

No levantamento, foi constatado que, em 2019, foram realizadas 929 reuniões com atendimento aos empresários. Já em 2020, em consequência do crescimento do Estado, mesmo em tempo de pandemia, investidores passaram a buscar mais pelo programa, fazendo que a equipe promovesse mais de 600 reuniões. Atualmente, Invest Rondônia acompanha de maneira ativa 20 empresas com efetivo interesse em instalar seu negócio em Rondônia. Inserida no cômputo, a Sedi também realizou 12 lives com duas mil visualizações fixas.

 De acordo com o website Invest Rondônia, o programa tem o papel de vender a imagem do nosso Estado fornecendo informações mais precisas aos investidores em busca de parceria com os municípios. Com o objetivo de desenvolver o Estado de Rondônia e torná-lo conhecido no cenário nacional e internacional, o plano simboliza um elo entre empresários e municípios a fim de instalar e expandir empreendimento na região.

Segundo Suéllen Lemos, coordenadora da Invest Rondônia, o programa realiza um trabalho similar ao da consultoria, prestando informações acerca de incentivos fiscais, recursos naturais, logística de escoamento e dados locacionais aos empresários que intentam instalar seus negócios em Rondônia. Além disso, quando não há em Rondônia o insumo ou material necessário, o programa expõe alternativas mais fáceis e rápidas para aquisição nos países ou estados vizinhos.

As frentes de trabalho realizadas pelo programa vão de desenvolvimento de negócios, projeto de investimentos até relações institucionais e internacionais. Os próximos passos que o programa pretende dar, sendo uma das principais entregas, é a implantação de um painel setorial gerido pela geointeligência de dados socioeconômicos. O painel irá agrupar em um só lugar todos os dados e informações que servirão de base aos investidores.

Além disso, pretende-se também promover uma integração maior com os municípios, fortalecimento do projeto de exportação procomex – comércio exterior inteligente, e fortalecimento do modelo de gestão e promoção da marca Rondônia no âmbito interno e externo.

Dorival de Carvalho Pinto, engenheiro de minas e PhD., foi contratado pela Canada Rare Earth Corporation para fazer um estudo técnico-econômico visando a implantação de uma unidade industrial para produzir Terras Raras no Brasil. Segundo ele, a indústria será a primeira e única em toda América Latina no ramo e terá uma papel fundamental para todo o continente americano e europeu, atualmente dependente da China.

De acordo com ele, foram escolhidos seis municípios, localizados em diferentes estados do Brasil. Mas ao final, em virtude do estudo, a escolha final recaiu no município de Ariquemes, no Estado de Rondônia. “Para a escolha, foi criado um sistema de pontuação, com o propósito de ranquear as melhores alternativas de localização, considerando em relação a custo-benefício. Ao final desse processo, a cidade de Ariquemes foi classificada em primeiro lugar, à frente de município de outro Estado em que já existia um polo petroquímico”, explica o engenheiro.

Investimentos em Rondônia geram empregos e arrecadação para o Estado

Segundo o engenheiro, a princípio, o investimento irá gerar 130 empregos diretos e pode chegar a 500 indiretos. Apesar do Invest Rondônia não ter influenciado diretamente na escolha, ele garante que serviu como um forte argumento graças ao apoio e receptividade por parte da equipe atuante que representa o Estado.

Everaldo Santos, gerente geral da Indústria de Transformação Plástica, ramo isopor, também vem para o mercado rondoniense para somar na Economia do Estado. No comércio em Manaus há mais de 25 anos, o gerente explica os motivos que determinaram a escolha do Estado de Rondônia para implantação da indústria.

“Por ser um ótimo lugar para ampliar os negócios, a escolha pelo município de Guajará-Mirim ocorreu por duas razões, uma por ser uma área de livre comércio e outra por estar localizada na entrada do Estado do Acre, o que é muito bom financeiramente, pois a gente consegue atender os dois Estados de uma vez só. Era um mercado que eu desconhecia, mas que hoje consigo quantificar em negócio, então, não tenho dúvida, que a escolha será bem interessante economicamente”, relata o gerente.

De acordo com ele, a implantação vai gerar inicialmente cinco empregos, podendo ser ampliado para 20 no município de Guajará-Mirim. O Estado, antes da vinda do investimento, não contava com a indústria de isopor e com a chegada do novo segmento, o empreendimento trará tecnologia e empregos ao mercado rondoniense.

No momento pré-pandemia, a atuação do programa contou com participação e organização de feiras e eventos, a fim de apresentar as potencialidades e oportunidades do Estado. Para exemplificar, até março de 2020, a equipe participou de feiras de investimento como Brasil Investment Forum, Rondônia Day São Paulo, Café Com Desenvolvimento – que ocorreu em Porto Velho e Ji-Paraná -, bem como feira de alimentos e bebidas como a Anufood, feira do setor coureiro-calçadistas – a Fimec, feira agroindustrial Coopavel.

A equipe que coordena Invest Rondônia participou, no início do ano, do Brasil Investment Forum

Durante a pandemia, as atividades presenciais foram suspensas, então a atuação passou a ser virtual, na qual a equipe participou de fóruns e lives da Superintendência. As próximas atividades para final de 2020 e início de 2021 são Investment Fórum (BIF), Intermodal, reuniões com prefeitura, assim como empresários e investidores, que estão ocorrendo semanalmente.

“A Invest Rondônia tem se estruturado para ser o ponto focal da entrada de investidores no Estado. A atração de novos negócios gera investimentos em Rondônia, fazendo a economia girar, fortalecendo o setor produtivo e industrial e colocando cada vez mais o Estado em destaque. A implantação de empresas e indústrias gera empregos diretos e indiretos o que, além de desenvolver economicamente o Estado, gera empregabilidade para a população rondoniense”, pontua a coordenadora da Invest Rondônia, Suéllen Lemos.

SUPERANDO METAS

De iniciativa do Governo do Estado, a partir de conversas e estudos dos casos de sucesso no modelo, a Invest Rondônia foi vista como uma oportunidade para dar início a um trabalho inovador que acarretasse em grandes resultados econômicos e sociais em Rondônia. O pontapé inicial surgiu graças a visitas ao Invest São Paulo e Invest Paraná, dois grandes polos de referência em atração de investimentos no Brasil.

Em julho de 2019, quando foi criado o Invest Rondônia, a meta para o final de 2022 era atrair R$ 1 bilhão de investimentos para o Estado. No entanto, com pouco mais de um ano de trabalho, o programa superou o marco em atração de investimento. O objetivo, para os próximos anos, é manter o padrão de crescimento em investimentos e, também, aumentar em 10% a exportação do produto rondoniense, cujo quantitativo cresceu 6,6% somente no ano de 2020.

PONTENCIALIDADE DE RONDÔNIA

Rondônia possui 3º maior PIB e o maior PIB per capita da Região Norte

Rondônia tem uma economia sólida e repleta de oportunidades. O papel do Invest Rondônia é mostrar isso para o Brasil e para o mundo, onde os produtores do Estado têm muito potencial para vender seus produtos para o mundo, gerando riquezas e empregos.

Considerado um dos estados que mais crescem no Brasil, com o terceiro maior Produto Interno Bruto (PIB) e o maior PIB per capita da Região Norte, Rondônia dispõe de um amplo mercado consumidor com rápida conexão para os mais de 280 milhões de consumidores do Mercosul, além de contar com uma posição privilegiada devido à saída para os oceanos Pacífico e Atlântico, por meio de hidrovia e rodovia.

Ademais, o Estado conta com um porto alfandegado – único da região Norte – que escoa mais de 1 milhão de toneladas de soja por ano e compreende de uma autossuficiência energética de 8.7gw, resultando em 1/3 da produção da Região Norte.

Rondônia também é rico em recursos minerais com alto valor comercial. Além de possuir uma solidez fiscal, sendo o terceiro colocado em todo o país em cuidar bem de suas contas, e dispor de distritos industriais com as principais em Porto Velho, Ji-Paraná, Vilhena, Ariquemes e Cacoal.


Fonte
Texto: Emanuelle Pontes
Fotos: Daiane Mendonça, Suellen Lemos e Frank Nery
Secom – Governo de Rondônia

--Publicidade--
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Politica

Decreto autoriza reabertura de boates, cinemas, concursos e balneários em Rondônia

Publicado

em

O decreto de n° 25.470, publicado pelo governo de Rondônia nesta quinta-feira (22), autorizou pela primeira vez o retorno de várias atividades culturais e de lazer nos nove municípios que entraram na Fase 4 do Plano Todos por Rondônia.
 

Boates, cinemas, museus, balneários, área de lazer de condomínios e teatros já podem reabrir para o público.
 
De acordo com o governo, casas de eventos, bares e boates com capacidade de até 1 mil pessoas poderão abrir com capacidade limitada a 50% do que o estabelecimento pode comportar, porém os clientes devem manter distância mínima de 120 cm.
“Nos eventos com capacidade entre 1.001 e 2.000 pessoas, fica limitada a entrada de até 40% da capacidade do estabelecimento”, diz o decreto.
O decreto já está em vigor e, segundo o estado, podem reabrir os estabelecimentos das cidades que estão na Fase 4. São elas:
 

Porto Velho
Ariquemes
Mirante da Serra
Candeias do Jamari
Primavera de Rondônia
Guajará-Mirim
Chupinguaia
Pimenteiras do Oeste
Vale do Paraíso
 
Também foram autorizadas as aplicações de provas de concurso e processo seletivo. O estado determina que as medidas sanitárias sejam respeitadas nos estabelecimentos, como o uso de máscara.

Fonte: G1 RO

Continue lendo

Politica

URGENTE: Governo coloca nove cidades na quarta fase permitindo abrir tudo

Publicado

em

Foto: Divulgação

O governo do Estado publicou uma portaria conjunta nesta quinta-feira (22), onde reclassifica as fases das cidades rondonienses diante da situação de pandemia. Dentre essas, nove foram para a quarta fase.
São elas, Porto Velho, Ariquemes, Mirante da Serra, Candeias do Jamari, Primavera de Rondônia, Guajará-Mirim, Chupinguaia, Pimenteiras do Oeste e Vale do Paraíso.
O governo reclassificou essas nove cidades, devido o número de mortes e contágio pelo coronavírus nessas regiões terem caído.
Com isso, fica permitida a abertura comercial ampliada com prevenção contínua, reabertura total com os critérios de proteção à saúde coletiva, enquanto houver circulação do vírus sem medida de proteção efetiva (vacina).
Documentos anexos
Continue lendo

Politica

Caixa paga auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários

Publicado

em

Brasília, DF, Brasil: Caixa Econômica Federal. (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A Caixa paga hoje (21) auxílio emergencial para 5,2 milhões de beneficiários. Entre os beneficiários estão 3,6 milhões de brasileiros nascidos em agosto, que recebem R$ 1,6 bilhão no Ciclo 3 de pagamentos. Também está sendo liberado hoje o pagamento de R$ 421 milhões referentes à segunda parcela do auxílio emergencial extensão para 1,6 milhão de beneficiários do Bolsa Família com final de NIS (Número de Identificação Social) número 3.

Ciclo 3 e auxílio residual

Do total de recursos pagos hoje no Ciclo 3, R$ 800 milhões são referentes às parcelas do auxílio emergencial pagas para 1,3 milhão de pessoas. Os demais, 2,3 milhões, serão contemplados com a primeira parcela do auxílio emergencial extensão, em um montante de R$ 800 milhões.

A partir desta quarta-feira, os valores já podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos, compras na internet e pelas maquininhas em mais de 1 milhão de estabelecimentos comerciais.

O benefício criado em abril pelo governo federal foi estendido até 31 de dezembro por meio da Medida Provisória (MP) nº 1.000. O auxílio emergencial residual será pago em até quatro parcelas de R$ 300 cada e, no caso das mães chefes de família monoparental, o valor é de R$ 600,00.

A Caixa lembra que não há necessidade de novo requerimento para receber a extensão do auxílio. Somente aqueles que já foram beneficiados e, a partir de agora, se enquadram nos novos requisitos estabelecidos na MP terão direito a continuar recebendo o benefício.

De acordo com o banco, a parcela extra inicial será para os beneficiários que receberam a primeira parcela do auxílio emergencial em abril.

Os saques e transferências para quem recebe o crédito nesta quarta-feira serão liberados a partir do dia 28 de novembro.

Poupança social digital

A conta poupança social digital é simplificada, sem tarifas de manutenção, com limite mensal de movimentação de R$ 5 mil. A movimentação do valor poderá, inicialmente, ser realizada por meio digital com o uso do aplicativo Caixa Tem, sem custo, evitando o deslocamento das pessoas até as agências. Logo após o crédito dos valores, será possível realizar compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos com o cartão de débito virtual e QR Code nas maquininhas de cartão. O beneficiário também poderá fazer o pagamento de contas de água, luz, telefone, gás e boletos em geral pelo próprio aplicativo ou nas casas lotéricas por meio da opção “Pagar na Lotérica” do Caixa Tem.

Com o cartão de débito virtual Caixa é possível fazer compras pela internet, aplicativos e sites de qualquer um dos estabelecimentos credenciados. Para gerar o cartão, é preciso entrar no aplicativo e acessar o ícone cartão de débito virtual. Feito isso, o usuário deverá digitar a senha do Caixa Tem. Em seguida, aparecerão os seguintes dados: nome do cidadão, número e validade, além do código de segurança. Ao lado do código, é preciso clicar em gerar e assim, o cartão estará disponível. O código de segurança vale para uma compra ou por alguns minutos. Para realizar uma nova compra é preciso gerar um novo código.

Bolsa Família

A Caixa paga também hoje R$ 421 milhões referente à segunda parcela do auxílio emergencial extensão para 1,6 milhão de beneficiários do Bolsa Família com final de NIS número 3. Ao todo, mais de 16 milhões de pessoas cadastradas no programa Bolsa Família foram consideradas elegíveis para a segunda parcela do auxílio emergencial extensão e receberão, no total, R$ 4,2 bilhões durante o mês de outubro.

Segundo a Caixa, para quem recebe o Bolsa Família nada muda. O recebimento do auxílio emergencial extensão atende aos mesmos critérios e datas do benefício regular, permitindo a utilização do cartão nos canais de autoatendimento, unidades lotéricas e correspondentes Caixa Aqui ou por crédito na conta Caixa Fácil.

Para o pagamento do auxílio emergencial extensão, os beneficiários do Bolsa Família tiveram avaliação de elegibilidade feita pelo Ministério da Cidadania e recebem o valor do programa complementado pela extensão do auxílio emergencial em até R$ 300 ou em até R$ 600, no caso de mulher provedora de família monoparental.

Edição: Graça Adjuto

Por Kelly Oliveira 

Repórter da Agência Brasil – Brasíli

Continue lendo
--Publicidade--

Publicidade

Publicidade

--Publicidade--

Artigos

Categorias

Mais Lidas

%d blogueiros gostam disto: