Conecte-se conosco

Agronegócio

Nuvem de gafanhotos é localizada na Argentina

Publicado

em

Aos Leitores, ler com atenção:
Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove ao contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

© Fornecido por RedeTV! Nuvem de gafanhotos é localizada na Argentina

Após anunciar que não sabia mais a localização exata da nuvem de gafanhotos. O Governo da Argentina anunciou na última sexta-feira (26) que conseguiu localizar os insetos.

De acordo com o Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agroalimentar (Senasa), o enxame está a 90 quilômetros de Curuzú, na província de Corrientes.

“Após dias de rastreio das equipes do Serviço Nacional de Saúde e Qualidade Agro-alimentar (Senasa) da Argentina e da província de Corrientes, hoje se pode descobrir a localização da nuvem de gafanhotos, que se encontra a 90 km a oeste da cidade de Curuzú Cuatiá”, diz o comunicado.

Situação no Brasil

O enxame de gafanhotos se originou no Paraguai e agora está na Argentina, próximo a fronteira com o Brasil, mas não deve afetar o país. A chuva e a frente fria que atingiram o Rio Grande do Sul mudaram o rumo dos insetos e o governo acredita que eles devem seguir para o Uruguai.

A situação preocupa Ministério da Agricultura, a ministra Tereza Cristina declarou estado de emergência fitossanitária no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. A medida permite atuação de forma emergencial, com uso de produtos químicos e agrotóxicos para conter a praga. As autoridades estudam, por exemplo, o uso de 400 aviões para pulverizar o solo.

O governo argentino monitora a nuvem de gafanhotos desde maio, quando o movimento começou no Paraguai. Em um mapa, é possível observar que o enxame chegou a ficar bem próximo do Brasil, a 130 quilômetros da fronteira. 

Fonte. MSN

--Publicidade--
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Agronegócio

Gafanhotos aparecem na Grande Recife e preocupa população

Publicado

em

© Istock locust on the move

Gafanhotos estão deixando moradores da cidade de Paulista, na Grande Recife (PE), intrigados. De acordo com o apurado pelo G1, os insetos apareceram na última quinta-feira, 25. “Por volta de 11h40 a gente começou a perceber pelas paredes das casas, em canteiros e em algumas plantas. Eu moro aqui há cinco anos e nunca vi isso”, relata uma das entrevistas ao site.

 Fato semelhante também ocorre em Carpina, na Zona da Mata Norte (PE), os bichos invadiram um condomínio e destruíram todas as plantas.

A população local tem receio de que o fato tenha ligação com a nuvem de gafanhotos que apareceu na Argentina. Mas, a hipótese é descartada pelo pesquisador Marco Aurélio, do Departamento de Biologia da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), especialista em entomologia e combate a pragas.

Na reportagem ao G1, ele explica que: “Esse que está aparecendo aqui tem uma fase gregária, a fase jovem, quando ficam juntos, mas na fase adulta ficam isolados. Eles também não migram. Os da Argentina são gregários na fase adulta, ficam juntos e quando atingem plantações voam bastante, fazem migração e se alimentando de várias culturas”.

Fonte: Msn

Continue lendo

Agronegócio

MPF pede que Azul e autoridades expliquem sobre retirada de todos os voos do interior, em RO

Publicado

em

O Ministério Público Federal (MPF) enviou ofício para várias entidades e à empresa Azul Linhas Aéreas para saber por que todos os voos foram retirados do interior de Rondônia.

No último dia 19 de junho, a Azul anunciou que a falta de estrutura em Ji-Paraná e Cacoal, além de violações na cerca de aeroporto de Vilhena, fizeram com a que a companhia retirasse todos os seus voos das cidades por medida de segurança.

No documento do MPF, a procuradoria pede que a Azul, o Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER-RO), Secretaria de Aviação Civil (SAC) e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) prestem esclarecimentos acerca das medidas que pretendem adotar para que os voos não sejam cancelados.

” O MPF solicita à Azul que esclareça e envie documentos sobre o problema de violação na cerca aeroportuária de Vilhena, que a levou a interromper as operações no aeroporto; que informe, ainda, sobre as tratativas realizadas com a administração do aeroporto, para discutir o problema e possíveis soluções encontradas, e quais medidas alternativas serão disponibilizadas pela companhia aérea para atender as pessoas que necessitam se deslocar dentro e fora do Cone Sul do estado”, diz a procuradoria.

Procurada pelo G1, a companhia Azul diz que prestará todos os esclarecimentos ao MPF, assim quando for notificada.

“A Azul lembra que não cabe à empresa, enquanto concessionária de transporte aéreo, fornecer informações acerca da infraestrutura dos aeroporto, mas sim às autoridades aeroportuárias, que detêm todos os detalhes sobre o patrimônio do aeródromo”, afirma a empresa por meio de nota.

A ANAC e o DER-RO foram procurados pela reportagem sobre a requisição feita pelo MPF. Em nota, a ANAC informou que ainda não foi oficiada e que irá se posicionar após recebimento e análise do ofício. O DER não retornou contato até a publicação.

Problemas nos aeroportos

Segundo a companhia, vários fatores foram determinantes para que os voos fossem retirados do interior do estado.

Em Ji-Paraná, por exemplo, é preciso fazer a desapropriação de um dos lados da pista do aeroporto para ser implementado o IFR, que permite o chamado voo por instrumento. Isso é fundamental para a aproximação de aeronaves no período noturno e em condições meteorológicas adversas

O problema no aeroporto de Cacoal também se refere ao IFR. Segundo a companhia aérea, o equipamento para pouso por instrumento foi instalado há vários meses, porém ainda não teve a documentação validada.

Continue lendo

Agronegócio

Frente fria muda direção de nuvem de gafanhotos que se aproximava do Brasil

Publicado

em

Com o avanço de um frente fria e a chuva no Sul do Brasil, a nuvem de gafanhotos deve permanecer na Argentina. O governo do Rio Grande do Sul tem monitorado o avanço dos animais desde terça-feira (23) quando o país argentino emitiu um alerta de que a nuvem estava próximo à fronteira com o Brasil.

A nuvem de gafanhotos veio do Paraguai e seu deslocamento é influenciado pela direção dos ventos e a ocorrência de altas temperaturas. Ao G1,  o chefe da divisão sanitária do governo gaúcho Ricardo Felicetti informou que o monitoramento por parte do governo é feito com troca de informações constantes com a Argentina.

De acordo com o último boletim divulgado pelo governo argentino, a localização da nuvem era imprecisa devido ao tempo nublado. Até o momento, nenhum produtor avistou o inseto na Fronteira Oeste.

Nesta quinta-feira (25), a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, decretou estado de emergência fitossanitária no Rio Grande do Sul e Santa Catarina. O decreto permite aos governos mais agilidade na hora de adotar medidas contra uma situação de anormalidade deste tipo. Entre as medidas de defesa estão o uso de produtos químicos e agrotóxicos no controle da praga.

Fonte.

Continue lendo

Publicidade

--Publicidade--

Publicidade

--Publicidade--
--Publicidade--

Artigos

Categorias

Mais Lidas

%d blogueiros gostam disto: