Conecte-se conosco

Politica

Com equipamentos de ponta, Lacen amplia capacidade de análises e libera resultados em menos de 72 horas

Publicado

em

Aos Leitores, ler com atenção:
Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove ao contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

O Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen) é a referência estadual para diagnóstico de várias doenças, não apenas do novo coronavírus. O Governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), tem investido na aquisição de novos equipamentos, proporcionando a automação laboratorial, garantindo a qualidade do serviço e, também, a agilidade na entrega dos resultados.

No mês de março,  seis novos equipamentos de automação laboratorial de alta precisão, com capacidade de realização de mais de 40 mil exames de hemocultura e bacteriologia por ano em atendimento, foram instalados.

Os exames de hemocultura, bacteriologia e detecção de resistência bacteriana são necessidades diuturnas de exames dos pacientes do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, Hospital e Pronto Socorro João Paulo II, Hospital Infantil Cosme e Damião, Centro de Medicina Tropical de Rondônia (Cemetron), Assistência Médica Intensiva (AMI) e Serviço de Assistência Multidisciplinar Domiciliar (Samd). “Além de atender as necessidades de exames confirmatórios de toda rede hospitalar privada de Rondônia, estes exames laboratoriais se configuram, sem dúvida, dentre os mais importantes de microbiologia, pois com os resultados sendo fornecidos de forma mais rápida e precisa, ocorre melhora significativa do prognóstico dos pacientes e auxilia decisivamente na terapêutica, uma vez que, além de detectar o patógeno da infecção, avalia sua sensibilidade aos vários tipos de antibióticos, fornecendo aos médicos a dosagem correta a ser prescrita para o tratamento de saúde”, informou o secretário da Sesau, Fernando Máximo.

“Com os insumos laboratoriais e os novos equipamentos de automação que são utilizados em laboratórios de ponta por todo o mundo, conseguimos entregar com rapidez os exames, produzindo mais em menos tempo”, destacou a diretora do Lacen/RO, Ceciléia Correia.

Segundo Ceciléia, a chegada da pandemia no estado dobrou o trabalho das equipes do Lacen, pois o laboratório tem priorizado os exames de Covid-19. Ela ressalta que Rondônia tem um laboratório que é referência nacional, estadual e municipal de exames de microbiologia.

A produção de exames em microbiologia do Lacen passou de 4.945 exames em 2014 para 37.318 em 2019, o que representa um aumento de produção de 655% em apenas cinco anos. “Com a detecção e notificação mais rápida de culturas de sangue positivas, os médicos poderão informar de forma ágil o tratamento mais adequado, acelerando positivamente o resultado do paciente e reduzindo o período de internação”, explica a diretora

A HEMOCULTURA E BACTERIOLOGIA

São exames laboratoriais que detectam infecções bacterianas e pesquisam microrganismos patogênicos no sangue ou em outras amostras biológicas humanas, através da utilização de meios de cultura específicos e metodologia laboratorial apropriada.

As infecções bacterianas representam importante causa de mortalidade e morbidade em humanos, além de outras consequências, acarretando prolongamento do tempo de internação hospitalar e aumento nos custos da assistência.

VIROLOGIA COVID-19

Uma verdadeira força-tarefa, incluindo farmacêuticos, biomédicos, biólogos, bioquímicos, técnicos administrativos, de laboratório e também de tecnologia da informação, está envolvida no processamento das analises de biologia molecular para Covid-19.

O reforço inclui jornadas de trabalho manhã, tarde e noite, todos os dias, incluindo finais de semana, para dar conta das amostras que chegam diariamente.

O exame realizado é o PCR em tempo real, que faz a leitura do material genético do vírus.  O processo é todo automatizado com equipamentos de ponta, o que reflete em ganho de tempo e segurança, além da ampliação da capacidade de analise de cerca de até 600 amostras por dia e a liberação de resultados em menos de 72 horas.

Após a leitura dos gráficos, os laudos são assinados eletronicamente e liberados via sistema para a unidade de saúde onde foi coletado o exame.

“Aqui todos sabem que estamos em guerra e que temos um papel importante neste cenário. Mais do que lidar com números, lidamos com vidas”, destacou Fernando Máximo

Fonte
Texto: Dislene Queiroz
Fotos: Ítalo Ricardo
Secom – Governo de Rondônia

--Publicidade--
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Politica

Santa Luzia – Cartório Eleitoral comunica que o TSE alterou algumas seções de votação confira onde você irá votar

Publicado

em

O Cartório Eleitoral de município de Santa Luzia,  informa  que neste ano o TSE alterou algumas seções,  no município de Santa Luzia com isso a seção que consta no seu título não é propriamente onde você irái votar(só esse ano).

A Justiça Eleitoral informa ainda que os cidadões  poderá baixar um aplicativo e verificar onde ira votar.

O Cartório Eleitoral de Santa Luzia informa que só mudou as seções mais as escolas continua as mesmas.

 Evite confusão e verifique sua seção com antecedência, como?

Baixe o app E-TITULO

Clink no linque abaixo 

https://play.google.com/store/apps/details?id=br.jus.tse.eleitoral.etitulo

 

Fonte. Rondonianews

Continue lendo

Educação

EMPREGO: Governo abre processo seletivo para contratação de profissionais em RO

Publicado

em

Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social (Seas) está recrutando candidatos para preenchimento de uma vaga, de profissional com formação em Serviço Social, Psicologia ou Sociologia, para nomeação em Cargo de Direção Superior (CDS-06) conforme Edital nº 1/2020/ Seas-DIRT para atuação no Palácio Rio Madeira, localizado no município de Porto Velho.
As inscrições para o processo seletivo iniciaram nesta segunda-feira (26) com previsão de encerramento no dia 28 de outubro. Os interessados  podem fazer a inscrição clicando neste link: (https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSe3B_9BZ3I-iz5SrBK2MSUI78Yj5zOMampeZrJeP5db5qvcAg/viewform?usp=sf_link)
SOBRE A VAGA
O candidato irá atuar na área da Vigilância Socioassistencial Estadual, com o objetivo de fortalecer a implantação e implementação do setor de vigilância socioassistencial, a fim de serem efetivadas as ações e atividades tipificadas no âmbito da Política de Assistência Social.
A Vigilância tem como função saber onde estão e quantos são os que demandam por proteção social e qual é a capacidade dos equipamentos e serviços para suprir suas necessidades. O candidato deve ter o registro no Conselho, capacidade de escrita de documentos oficiais; domínio básico do Excel; noções de Administração Pública e bom relacionamento com os demais.
CRONOGRAMA
O processo seletivo é composto por três etapas sendo a primeira: a análise de currículos; a segunda, realização de prova teórica ou prática; e a terceira e última etapa consiste em entrevista técnica, conforme as datas previstas no cronograma. A prova teórica ou prática contém questões de português, matemática, informática, redação oficial, administração geral, arquivologia e redação.
Em caso de problemas com a inscrição o candidato deve entrar em contato através do e-mail: [email protected]
Fonte. ASSESSORIA
Continue lendo

Politica

Proposta que permite prisão após segunda instância enfrenta resistências

Publicado

em

A proposta de Emenda à Constituição (PEC 199/19) que prevê o cumprimento de pena após condenação em segunda instância deve enfrentar dificuldades para ser aprovada pelo Congresso.

 

 

Segundo o relator da proposta, deputado Fábio Trad (PSD-MS), há resistências tanto por parte de partidos de oposição quanto de aliados do governo. Por isso, foi preciso incluir, no substitutivo ao projeto original, que a mudança só valha para novos processos e que a ampliação para a esfera não penal fique para um segundo momento.

“Não conseguiremos obter mais de 100 votos se fizermos com que a incidência dos efeitos se implemente imediatamente em todas as áreas, penal e não penal.”

A constatação foi feita durante seminário virtual nesta terça-feira (27), promovido pela Secretaria de Relações Internacionais da Câmara. O debate se concentrou na chamada “PEC da Segunda Instância”. Os participantes defenderam a aprovação da proposta como instrumento de combate à corrupção.

Crítica ao governo
O ex-ministro da Justiça Sergio Moro lamentou que o governo não esteja empenhado no tema. Ele é de opinião que a modificação na lei já valha para os casos pendentes, mas afirma que o marco temporal pode ser modificado para facilitar a aprovação. Moro acrescentou que o grande número de recursos sobrecarrega o sistema, relatando que 300 mil novos processos chegam por ano ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e 50 mil ao Supremo Tribunal Federal (STF).

“Não se justifica travar toda a efetividade do sistema, gerando impunidade – e normalmente é uma impunidade seletiva, nós normalmente estamos falando aqui em impunidade dos poderosos, política e economicamente – em detrimento dos direitos da vítima e da sociedade. Isso vale para todos os crimes: crimes de sangue, crimes de colarinho branco, crimes patrimoniais, enfim, todo o espectro aí da criminalidade.”

Moro reiterou que a prisão depois da segunda instância não afeta a presunção de inocência garantida pela Constituição. Ele fez comparações com os sistemas judiciais da França e dos Estados Unidos, onde a regra é a prisão depois do primeiro julgamento.

Modelo norte-americano
O juiz Bruno Bodart, que também participou da discussão, detalhou o sistema norte-americano, onde as regras sobre a prisão provisória variam de estado para estado e onde há o sistema chamado “plea bargain”, os acordos criminais negociados.

“Uma vez condenado, é muito raro que o réu, nos Estados Unidos, permaneça em liberdade. Os recursos são escassos, não há um direito constitucional a recorrer e a decisão da corte recursal normalmente é definitiva. Não existe ou é muito raro um recurso ir para a Suprema Corte, o que acaba abreviando o caminho recursal no processo penal americano”, disse.

Impunidade à elite
O representante da Transparência Internacional no Brasil Bruno Brandão afirmou que a corrupção no País é sistêmica e que o Estado, ao mesmo tempo, viola direitos da parcela mais vulnerável da sociedade, enquanto garante impunidade à elite. Ele lembrou que os compromissos que o País fez em fóruns internacionais anticorrupção serão reavaliados em 2021 e que o bom funcionamento do sistema judicial também atrai grandes investimentos.

Durante o seminário, o autor da proposta de emenda à Constituição que prevê prisão depois da condenação em segunda instância, deputado Alex Manente (Cidadania-SP), também reforçou que vários setores políticos tentam deixar a proposição em “banho-maria”. O parlamentar, que é secretário de Relações Internacionais da Câmara, apontou que a mudança na lei também atinge crimes como homicídios e tráfico de drogas e citou o episódio recente do habeas corpus concedido ao traficante André do Rap.

“Se não tomarmos as medidas cabíveis aqui na Câmara dos Deputados, aqui no Congresso Nacional, nós continuaremos vendo a cada caso midiático, a cada situação que nós nos deparamos com essa sensação de impunidade, com um tema latente que a Câmara precisa, de uma vez por todas, resolver”, disse Manente.

Os deputados cobraram o retorno das atividades da comissão especial que examina a proposta. Os trabalhos foram interrompidos por causa da pandemia do coronavírus e dependem de um projeto de resolução para serem retomados.

Reportagem – Cláudio Ferreira
Edição – Roberto Seabra

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Continue lendo
--Publicidade--

Publicidade

Publicidade

--Publicidade--

Artigos

Categorias

Mais Lidas

%d blogueiros gostam disto: