Conecte-se conosco

Politica

Situação orçamentária positiva, destinação de recurso à saúde e anúncio de frentes de trabalho em estradas devem fomentar o desenvolvimento de Rondônia em 2020

Publicado

em

Aos Leitores, ler com atenção:
Este site acompanha casos policiais. Todos os conduzidos são tratados como suspeitos e é presumida sua inocência até que se prove ao contrário. Recomenda-se ao leitor critério ao analisar as reportagens.

O governador de Rondônia, coronel Marcos Rocha, em entrevista à emissora de TV local destacou que Estado conquistou, através de um trabalho alinhado, uma situação financeira positiva, saindo de R$ 8,2 bilhões de orçamento em 2019 para R$ 8,5 bilhões neste ano.

Os esforços também concentram-se em fomentar no Estado a geração de empregos e renda. A expectativa é que Rondônia, que está classificada com nota B em capacidade de pagamento, alcance a melhor marca, chegando a A na classificação da capacidade de pagamento (Capag) da Secretaria do Tesouro Nacional. A solidez fiscal do Estado torna-o mais atrativo para investidores.

Outro grande destaque dos avanços que Rondônia deve conquistar é a construção do novo Hospital de Urgência e Emergência, o Heuro. A ideia de construir um hospital em substituição ao João Paulo II, segundo o governador, nasceu do desejo de humanizar o atendimento à população. No ano passado, convênios com a rede particular resolveu um grande anseio da população, os pacientes já não ficam no chão e nos corredores do JPII.

Ainda nesse mesmo eixo, o governador destacou que o governo federal atendeu ao pedido de Rondônia e destinou R$ 100 milhões para a pasta da Saúde. O pedido foi feito pelo governador ao presidente Jair Bolsonaro, e ainda ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, com a presença das deputadas federais Mariana Carvalho, Silvia Cristina e Jaqueline Cassol, que reforçaram a necessidade do Estado receber recurso para a saúde.

Governador Marcos Rocha destaca que esse será um ano de frentes de trabalho nas estradas de todo o Estado

Outra demanda que receberá uma atenção em especial em 2020 são as estradas estaduais. O governador Marcos Rocha explicou que o orçamento deficitário deixado em 2019 limitaram as ações. Mesmo assim, o Departamento de Estradas e Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER) realizou a manutenção com composto de solo e cimento, pois faltava massa asfáltica.

Para este ano, com o orçamento positivo, a missão é ter frentes de trabalho nas estradas de todo o Estado, nas ROs que são de competência do governo. Segundo o governador, haverá frentes de trabalho executadas diretamente pelo DER, e outros lotes serão executados de forma terceirizada através de empresas contratadas por licitação. Ele também destacou que o governo também fará parcerias com as prefeituras para manutenção das vias de competência dos municípios, como no caso da Estrada do Belmont.

O salto na pontuação do Enem pelos alunos da rede pública estadual é outro feito do governo que investiu em aulões, distribuição de apostilas e conteúdos digitais para oferecer condições dos alunos alcançarem um desempenho melhor no exame nacional. Saindo de uma média de 445 para uma condição onde os estudantes tem pontuado mais 900 pontos na avaliação.

‘‘Tratem o Estado com amor’’, pediu o governador de Rondônia ao encerrar a participação na emissora local.

Fonte Texto: Vanessa Moura

Fotos: Ésio Mendes
Secom – Governo de Rondônia

--Publicidade--
Clique para comentar

Deixe uma resposta

Politica

TSE suspende consequências para quem não votou nas eleições de 2020

Publicado

em

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, assinou ontem (21) uma resolução suspendendo as consequências legais para quem não votou nas eleições municipais de 2020 e não justificou ou pagou a multa.

Entre suas justificativas, a medida considera “que a persistência e o agravamento da pandemia da Covid-19 no país impõem aos eleitores que não compareceram à votação nas Eleições 2020, sobretudo àqueles em situação de maior vulnerabilidade, obstáculos para realizarem a justificativa eleitoral”.

O texto da resolução sobre o assunto considera ainda a “dificuldade de obtenção de documentação comprobatória do impedimento para votar no caso de ausência às urnas por sintomas da covid-19”.

A norma não estipula prazo para a suspensão das sanções para quem não votou e não justificou ou pagou multa. A medida ficará vigente ao menos até que o plenário do TSE vote se aprova ou não a resolução assinada por Barroso. Isso não deve acontecer antes de fevereiro, devido ao recesso forense.

A resolução destaca que não se trata de uma anistia para quem não votou, pois tal providência somente poderia ser tomada pelo Congresso Nacional, frisa o texto da norma.

O prazo para justificar ausência no primeiro turno encerrou-se em 14 de janeiro. O limite para justificar a falta no segundo turno é 28 de janeiro. Ambas as datas marcam os 60 dias após as votações, que ocorreram em 15 e 29 de novembro.

Pela Constituição, o voto é obrigatório para todos os alfabetizados entre 18 e 70 anos. Em decorrência disso, o artigo 7º do Código Eleitoral prevê uma série de restrições para quem não justificar a ausência na votação ou pagar a multa. Enquanto não regularizar a situação, o eleitor não pode:

– inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, investir-se ou empossar-se neles;

– receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço público delegado, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição;

– participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, dos territórios, do Distrito Federal ou dos municípios, ou das respectivas autarquias;

– obter empréstimos nas autarquias, sociedades de economia mista, caixas econômicas federais ou estaduais, nos institutos e caixas de previdência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo, ou de cuja administração este participe, e com essas entidades celebrar contratos;

– obter passaporte ou carteira de identidade;

– renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo;

– praticar qualquer ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda.

Fonte. da Agência Brasil

Continue lendo

Politica

Vereadores de Rolim de Moura/RO solicitam mais Médicos e melhorias aos profissionais que atendem o enfrentamento ao Covid-19.

Publicado

em

Reivindicando aos pedidos da população eapós várias visitas feitas no hospital municipal de Rolim de Moura e no Sentinela, os vereadores Claudinei Fernandes – “Claudinho da Cascalheira”, Juliana Antunes, CidineiFurtunato, Eurico Gomes e Ivan Ferreira, se reuniram e solicitaramcom urgência ao prefeito Aldo Júlio,  e ao secretário de Saúde, a verba indenizatória para a covid-19, a contratação de médicos, inclusive médico obstetra que também está em falta e técnicos de enfermagem.

Rolim de Moura é uma cidade que está localizada no estado de Rondônia, sendo a 7ª cidade mais populosa do estado. Sua população estimada, conforme dados do IBGE, é de 55.407 habitantes. À distância até a capital Porto Velho é de 482 km, a demanda de pacientes é muito grande, infelizmente com a pandemia ficou pior, visto que já perdemos alguns dos nossos profissionais e outros estão afastados.

Fonte.

Assessoria de Imprensa – Câmara Municipal de Rolim de Moura
Continue lendo

Politica

Parecis inicia vacinação contra a covid-19

Publicado

em

40 Profissionais da saúde receberam a 1ª dose da vacina no município


O Prefeito Municipal de Parecis, Marcondes de Carvalho, por intermédio do Fundo Municipal de
Saúde (Fms), iniciou na tarde desta quinta-feira (21), a Campanha de Vacinação contra a Covid19. Os profissionais da saúde que trabalham no HPP foram os primeiros a receberem a 1ª dose
da vacina. A primeira a ser vacinada, foi à técnica de enfermagem Ivone de Paula, de (54) anos.
“É uma grande honra servir de exemplo para que todos os profissionais se vacinem”, disse.
Atualmente, três médicos estão atendendo no município, enfermeiros, técnicos de
enfermagem, técnicos de laboratório, colaboradores e outros que auxiliam, e muito, na
produção diária, na manutenção e no atendimento aos moradores que procuram a unidade com
suspeita de Coronavírus (Covid-19), desde o início da pandemia.

Ao longo da semana, outros profissionais que trabalham no Hospital Municipal serão vacinados
com a 1ª dose. A segunda dose será administrada em 14 dias. O Secretário de Saúde Sérgio Leão
de Araújo, ladeado pela enfermeira chefe Ellen Souza, disse que inicialmente, o município
recebeu apenas 80 doses do imunizante e a proposta é que assim que forem encaminhadas
novas doses da vacina, seja ampliado o número de pessoas vacinadas de acordo com o que
preconiza o Ministério da Saúde.

Fonte. TENANDES NUNES MORAIS

Continue lendo
--Publicidade--

Publicidade

Publicidade

--Publicidade--

Artigos

Categorias

Mais Lidas

%d blogueiros gostam disto: